Essays.club - TCC, Modelos de monografias, Trabalhos de universidades, Ensaios, Bibliografias
Pesquisar

A IMPORTÃNCIA DA ARTE NA FORMAÇÃO ESTÉTICA VIDA E OBRA DE IVAN CRUZ

Por:   •  9/2/2018  •  1.661 Palavras (7 Páginas)  •  462 Visualizações

Página 1 de 7

...

Para Vygotsky, quanto mais a criança “veja, ouça e experimente, quanto mais aprenda e assimile, quanto mais elementos da realidade disponha em sua experiência, tanto mais considerável e produtiva será, como as outras circunstâncias, a atividade de sua imaginação. Com base nessa fala percebemos a necessidade de oferecer a criança diferentes possibilidades de leitura de imagens, seja jornais, revistas, vídeos, fotografias, pinturas, literaturas, peças de teatro, danças, filmes, imagens publicitárias entre outros.

Segundo Paulo Freire “ensinar não é transferir conhecimento, mas sim criar possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção” (FREIRE, 1996, pág. 47). Para ensinar é necessário que se tenha valores éticos e estéticos, é preciso respeitar o olhar e o saber do outro sem discriminar, ter comprometimento com o que se faz com atitude reflexiva e crítica em busca de experiências que se apresentam como possibilidade de reconhecer e modificar esteticamente o que se tem.

VIDA E OBRA DE IVAN CRUZ

[pic 4]

Um artista das artes visuais que passa muita emoção em suas pinturas, por sua sensibilidade, sua capacidade de transformar brincadeira em arte de uma maneira que nos faz sentir transportados para dentro de suas telas numa viagem de volta a infância é Ivan Cruz.

O artista plástico Ivan Cruz nasceu em 1947, no subúrbio do Rio de Janeiro, e em 1978 mudou-se para Cabo Frio. Mesmo demonstrando paixão pelas artes, em 1970 formou-se em Direito, mas sem abandonar a pintura. Em 1986 decidiu abandonar a advocacia para se dedicar integralmente à produção artística e em 1990, apesar de afirmar que não aprendeu a esculpir e pintar em sala de aula, formou-se pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Em 1990, começou a pintar seus primeiros quadros com temas de sua infância, enquanto preparava para fazer uma Exposição em Portugal. O sucesso foi tão grande por aqui que ele cancelou a exposição em Portugal e expõe em várias cidades da Região dos Lagos e no Rio de Janeiro, Suas telas retratavam piões, crianças pulando corda, jogando bola-de-gude, pulando carniça entre outras brincadeiras.. Ivan Cruz já reproduziu em seus quadros em acrílico e cores vivas mais de cem jogos infantis, como crianças jogando bolinha de gude e pião, soltando pipa, pulando corda, amarelinha e carniça (o jogo que, em fila, salta-se por sobre o corpo de quem está a sua frente). Suas pinturas foram parar em camisetas, imãs de geladeira e jogo da memória. Em 1999, a empresa Telemar reproduziu oito telas de Cruz em seus cartões telefônicos.

Ele propõe um sentido pedagógico para suas obras. “Resgatar o lúdico, a imaginação, pode incentivar o desenvolvimento real das crianças. Elas vivem confinadas em playgrounds e ao computador, desacostumadas com o convívio coletivo e com o desenvolvimento motor proporcionado pelas velhas brincadeiras”, teoriza.

O Projeto de Ivan Cruz “Brincadeiras de Criança” nasceu do sonho e da vontade de fazer com que todos voltassem a brincar e as crianças de hoje aprendam o verdadeiro espírito dessa arte que está sendo deixada de lado hoje em dia. Tudo nasceu da nostalgia e do espírito jovem do artista. “A criança que não brinca não é feliz. E ao adulto que nunca brincou, falta um pedaço no coração”, destaca. De 1990 até hoje, Ivan Cruz pintou cerca de 600 quadros, retratando mais de 100 brincadeiras distintas. A ausência de um rosto definido é uma das características marcantes nos quadros . Para ele, seu trabalho não tem compromissos com a forma clássica: "existe rosto, mãos pés, mas não nas formas convencionais, tanto é que as pessoas, as crianças conseguem concluir a forma que são crianças brincando". Pode ser uma criança brasileira, europeia, japonesa... branca, negra, pobre, rica... não tem raça, nação; pode ser qualquer uma que já brincou a brincadeira retratada.

Suas exposições reúnem não só quadros, mas brinquedos, oficinas lúdicas e de confecção de brinquedos e contadores de história. Ivan Cruz tem esculturas e pinturas expostas na Galeria Errol Flynn, em Belo Horizonte, na Funarte, no Museu Nacional de Belas Artes e Museu da República, esses últimos no Rio de Janeiro.

[pic 5] [pic 6]

ALGUMAS OBRAS DA SÉRIE BRINCADEIRAS DECRIANÇA

CONSIDERAÇÕES FINAIS

No decorrer deste trabalho apontamos a importância de o professor estabelecer uma prática pedagógica que valorize a formação, a experimentação e esteja em constante reflexão e transformação.

É a partir do aprender, ensinar e da necessidade de despertar uma consciência para a arte como formadora, como uma forma de expressão recheada de significados e que envolve o fazer e pensar artísticos e estéticos.

Enquanto arte é compreendida como a materialização da percepção estética, esta por sua vez é a capacidade de reflexão sobre esse fazer, e a experiência esta pautada no fazer.

Entre os artistas das artes visuais Ivan Cruz foi escolhido para ser apresentado nesse trabalho por sua sensibilidade e emoção apresentados em sua arte onde resgata o valor do brinquedo e das brincadeiras e nos faz sentir como se transportados para dentro de suas telas ao mundo da infância, e pela valorização da diversidade apresentada em seu trabalho quando as crianças apresentadas formam todas as crianças do mundo indiferente de cor, raça ou situação econômica.

REFERÊNCIAS

BARBOSA, A. M. Tópicos utópicos. Belo Horizonte: C/ Arte, 1998.

BARBOSA, J. G. O pensamento plural e a instituição do outro: n. 9,São Bernardo do Campo, SP: Revista Educação & Linguagem, jan. jun. 2004.

Biografia do artista plástico Ivan Cruz. Disponível em: http://www.miniaturasivancruz.blogspot.com.br/comofazerum blog> Acesso em: 20/09/2014.

Biografia do artista plástico Ivan Cruz. Disponível em: acesso em: 04/10/2014.

Biografia do artista plástico Ivan Cruz. Disponível

...

Baixar como  txt (11.2 Kb)   pdf (57 Kb)   docx (16.4 Kb)  
Continuar por mais 6 páginas »
Disponível apenas no Essays.club