Essays.club - TCC, Modelos de monografias, Trabalhos de universidades, Ensaios, Bibliografias
Pesquisar

A PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL

Por:   •  26/12/2018  •  2.944 Palavras (12 Páginas)  •  9 Visualizações

Página 1 de 12

...

2.2 Psicologia Organizacional

A psicologia organizacional para Vieira (2006) surgiu diante dos avanços industriais mundiais no final do século XIX e início do século XX, preocupando-se com melhora de relacionamento entre os empregados.

A definição dada por Pesca (2011, p.33) aborda a psicologia organizacional como uma “disciplina do estudo científico do comportamento humano dentro das organizações de trabalho, pois se direciona ao trabalho e ao trabalhador dentro do contexto organizacional”. Ainda completa, sendo uma ciência que “une os elementos inseridos tanto na psicologia como na administração e, dessa maneira, o estudo do comportamento humano dentro das organizações.” (PESCA, 2011, p. 14).

É importante especificar a Psicologia Organizacional como uma área que estuda a relação do homem com trabalho e a sociedade, já a Psicologia do Trabalho é fonte de sobrevivência, realização pessoal e profissional do ser humano, usando técnicas e práticas aplicadas em organizações do trabalho. (SANTOS; CALDEIRA, 2014).

Bastos (2003) afirma existir dois grandes eixos de fenômenos que envolvem essa área na psicologia: o primeiro seria as organizações, enquanto ferramenta social formadora de coletivos humanos, e o segundo, o trabalho, enquanto atividade básica do ser humano reprodutora de sua própria existência e da sociedade.

Preocupa-se em abranger as diversas atividades do psicólogo atuante nas organizações, atividades como o recrutamento e seleção, até a formação de estratégias para as tomadas de decisões e intervenções na dinâmica da organização. (PINHEIRO; MARIO; GIACOMINI, 2012)

Tem seu estudo direcionado para o colaborador e a sua função no contexto organizacional “pois o trabalho sempre estará associado de algum modo a uma organização ou a várias organizações.” (SILVA; STEFFENS, 2016, p.4). Zanelli (1995, p. 95) reforça afirmando que a psicologia organizacional foca na “interação das características do trabalhador, da estrutura organizacional e do ambiente externo.”

A psicologia na organização é citada por Dias et al.(2009, p.3) com a função de “dar suporte aos colaboradores no aspecto de trabalho em grupo, [...], participar efetivamente na busca de resultados, agir criativamente e inovar processos e métodos organizacionais, proporcionando um melhor ambiente de trabalho.” Nessa medida, a qualidade da psicologia organizacional está em fazer com que os colaboradores em seu ambiente de trabalho tenham total bem estar em desenvolver suas atividades no alcance do objetivo comum das organizações: o prosperar organizacional.

3. METODOLOGIA

No desenvolvimento desse trabalho será utilizado o nível de pesquisa exploratória que é aquela que busca propor maior familiaridade ao problema (GIL, 2010), tendo como objetivo nesse nível conhecer o tema estudado.

Com uma pesquisa qualitativa que para Guerra (2014) busca estudar fenômenos (ações de indivíduos, grupos, organizações, ambiente ou contexto) com a participação dos próprios sujeitos da situação.

A pesquisa de caráter bibliográfica, que conforme Lakatos e Marconi (2002, p.166) “[...] abrangem toda a bibliografia já tornada pública em relação ao tema de estudo”, para isso o uso de livros, artigos e consultas on-line serão as fontes que apoiarão a explicação dos fatos e a responder a problemática do trabalho.

A aplicação das técnicas de pesquisa possibilitará que as respostas quanto aos questionamentos sejam verificados e oportunizando o entendimento referente a psicologia e o contexto do psicólogo organizacional.

4. RESULTADO

Nessa etapa do trabalho, abordaremos o resultado que obtivemos diante das pesquisas sobre o tema. Contextualizando o ideal da importância do psicólogo organizacional na atualidade das organizações.

4.1 A importância do psicólogo organizacional

Os psicólogos organizacionais afirma Bastos (1992) se enquadram na categoria responsável pelas atividades de recrutamento, seleção e treinamento em uma organização. Em sua atuação, suas atividades desenvolvidas com prioridade aos indivíduos e/ou com as relações de vínculos nos grupos até o relacionamento dos indivíduos com sistemas e/ou equipamentos de trabalho (RODRIGUES, 2010).

Segundo Pesca (2011, p. 34) o psicólogo organizacional está habilitado para exercer as atribuições de “analisar, avaliar, interpretar e intervir nas questões emocionais e mentais das pessoas inseridas nas organizações”. As aplicabilidades das atribuições dos psicólogos organizacionais vêm por estabelecer a motivação e a satisfação nos âmbitos (mentais, saúde, segurança, produtividade entre outros) conjuntamente com sua relação com o ambiente de trabalho.

A importância do psicólogo organizacional é defendida por Zanelli (2004, p. 35) a partir do momento que “os problemas organizacionais demandam a presença do psicólogo que saiba lançar mão dos conhecimentos acumulados pela psicologia em um contexto social complexo e interdisciplinar”. As organizações tem a necessidade de ter um profissional que entenda o contexto a qual seus colaboradores estão inseridos, para que se definam estratégias e condições que permitam o melhor funcionamento do clima organizacional.

A organização atual precisa de um psicólogo que assuma responsabilidades e seja competente ao fazer a “leitura” da realidade organizacional, da multideterminação dos comportamentos dos funcionários, dos fatores que mais estão afetando a motivação dos mesmos, dos conflitos, da competição pelo poder, das relações interpessoais, das relações trabalhistas, do comprometimento das pessoas e de seu grau de resistência às mudanças; e que esteja, além disso, sempre atento às perspectivas teóricas que embasam sua prática, consciente do seu papel político dentro da empresa, numa constante reavaliação da sua atuação. (GAGNO; VENTURI, 1997, p. 46).

O psicólogo organizacional faz com que suas atividades e funções exercidas estejam pertinentemente associadas a segurança e à satisfação do colaborador, que conforme Tannhauser (1994) visando o vínculo colaborador versus organização o resultado de uma melhoria nas condições de trabalho, maior produtividade e efetividade organizacional.

Esse profissional quando inserido no contexto das organizações de acordo com Gorges (2008) encontra um campo de atuação amplo, que se inserem atuações vinculadas à gestão e envolvimento dos comportamentos de pessoas, grupos e estruturas organizacionais. “É um profissional

...

Baixar como  txt (22.2 Kb)   pdf (73 Kb)   docx (21.8 Kb)  
Continuar por mais 11 páginas »
Disponível apenas no Essays.club