Essays.club - TCC, Modelos de monografias, Trabalhos de universidades, Ensaios, Bibliografias
Pesquisar

O AMBIENTE CONTEXTUAL, ESTRATÉGIA E ESTÁGIO DE DESENVOLVIMENTO DA EMPRESA COMO DETERMINANTES DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO EM UMA EMPRESA DE PEQUENO PORTE ECAR INTERMEDIAÇÃO LTDA

Por:   •  6/12/2018  •  5.010 Palavras (21 Páginas)  •  2 Visualizações

Página 1 de 21

...

-

Organograma.

O organograma é uma forma visual de apresentar a estrutura organizacional para os membros internos da organização.

O organograma mostra como funciona a divisão de departamentos o nível hierárquico aplicado, porém pode ocorrer de haver administradores do mesmo nível que não se encontram no mesmo patamar de autoridade e responsabilidade.

Apenas os administradores de topo podem alterar o organograma e a estrutura organizacional a ser seguido, porem, todos os gestores envolvidos são guiados por essa estrutura. A figura 2.1 é um exemplo de organograma.

Figura 2.1

[pic 3]

Na figura 2.2 é possível ver o nível hierárquico, e sua funcionalidade se baseia em dividir funções dentro desses níveis para formar a estrutura organizacional.

Os administradores de topo são responsáveis por definir o desenho da estrutura organizacional. Os Gerentes definem o desenho departamental. E os supervisores de primeira linha definem o desenho dos cargos e tarefas.

Figura2.2. [pic 4][pic 5]

NÍVEL ESTRATÉGICO

NÍVEL TÁTICO

NÍVEL OPERACIONAL

Administradores de topo

Gerentes

Supervisores de 1º linha

-

Especialização

A especialização consiste em aprimorar o conhecimento do executor de uma tarefa para gerar mais rentabilidade sobre a mesma. Com um membro especializado a função será melhor executada, assim atingindo o objetivo de uma maneira mais ágil e eficaz. Há dois graus de especialização, a horizontal e a vertical.

A especialização horizontal mede a quantidade de tarefas a serem realizadas, e a vertical mede a divisão de cada tarefa por funcionário.

-

Cadeia de comando

Com a divisão de trabalho, é necessário um controle das atividades em questão, esse controle é chamado de “cadeia de comando”.

A cadeia de comando é um modo vertical de controlar e dirigir a organização, ela especifica a hierarquia da organização de uma forma clara, para distinguir quem irá responder á quem na hierarquia. É exposto desde os primeiros cargos de mais responsabilidade, até os últimos cargos que respondem aos outros. Na figura 2.3 podemos ver um exemplo de cadeia de comando, uma linha que traça desde o primeiro cargo até os últimos departamentos.

Figura 2.3[pic 6]

[pic 7]

[pic 8][pic 9][pic 10][pic 11][pic 12][pic 13][pic 14]

[pic 15][pic 16][pic 17][pic 18][pic 19][pic 20][pic 21][pic 22][pic 23][pic 24][pic 25][pic 26][pic 27][pic 28][pic 29][pic 30][pic 31][pic 32][pic 33][pic 34][pic 35][pic 36][pic 37][pic 38][pic 39][pic 40][pic 41][pic 42]

[pic 43]

-

Amplitude de controle

A amplitude de controle de um gestor é medida com base nos números de subordinados que ele tem. Se possuir um grande número de subordinados, sua amplitude é grande, se possui um menor número de subordinados, sua amplitude é pequena.

É importante estudar a organização antes de definir uma amplitude para o gestor, pois essa medida define o grau de autoridade e responsabilidade do mesmo, se sua amplitude for muito extensa, haverá menos cargos de responsabilidade, ou seja, o poder de decisão estará mais centralizado, então o controle deve ser extremamente cauteloso para não haver erros por excesso de responsabilidade sob um membro.

Existem dois tipos de estruturas com base na amplitude de controle. As estruturas agudas ou verticais, que possuem mais níveis hierárquicos, sendo menos subordinados para cada gestor e o controle descentralizado por haver mais pessoas para dividi-lo. E as estruturas horizontais ou achatadas, que possuem menos níveis hierárquicos, ou seja, mais subordinados para cada gestor, com o controle mais centralizado por haver menos pessoas para esta função.

Alguns fatores que influenciam a amplitude de controle nas empresas:

- Os deveres pessoais do chefe.

- As habilidades pessoais do chefe em lidar com os subordinados.

- O nível de capacitação profissional do chefe.

- O nível de mutação da empresa perante o ambiente.

- O nível de estabilidade interna da empresa.

- A habilidade dos subordinados em se relacionar com as pessoas.

- O nível de capacitação profissional dos subordinados.

- O grau de delegação de autoridade existente.

- O grau de utilização de assessores.

- O nível de motivação existente.

- O nível do tipo de liderança existente.

- O grau de interdependência das unidades organizacionais.

- O nível e o tipo de controle exercido.

- O nível e o tipo de coordenação exercido.

- A existência das restrições pessoais à amplitude de controle.

- O nível de clareza, comunicação e aceitação dos objetivos.

- O nível de definição, simplicidade e repetitividade das atividades dos subordinados.

-

Departamentalização

A departamentalização consiste em criar departamentos com base em critérios racionais, para obter um melhor resultado em cada atividade.

O departamento agrega um conjunto de tarefas semelhantes com a direção de um gestor, permitindo simplificar o trabalho dele, resultando

...

Baixar como  txt (36.3 Kb)   pdf (94.7 Kb)   docx (36.7 Kb)  
Continuar por mais 20 páginas »
Disponível apenas no Essays.club