Essays.club - TCC, Modelos de monografias, Trabalhos de universidades, Ensaios, Bibliografias
Pesquisar

LDB - Diretrizes e Bases

Por:   •  28/12/2017  •  10.963 Palavras (44 Páginas)  •  103 Visualizações

Página 1 de 44

...

básica, a compreensão do significado da ciê ncia, das letras e das artes,

a língua portuguesa como instrumento de comunicação.

Nessa etapa são trabalhadas as seguintes Matérias: Matemática,

Portuguê s, Língua estrangeira moderna, Biologia, Química, Física,

Artes, Educação Física, Sociologia, Filosofia, Historia etc.

Sua faixa etária de idade mais comum é dos 15 anos aos 17 anos,

mais temos também bastantes casos de adolescentes que abandonam

a escola, por muitos motivos, um dos mais conhecidos é para trabalhar.

As novas demandas sociais

Outra dimensão que as diretrizes do ensino médio consideram diz

respeito ao que está ocorrendo no mundo do trabalho e no mundo da

prática social, já que, diz a lei, a educaçã o escolar deverá estar

vinculada a ambos. As mudanças em curso na organização do trabalho

deixam muitos educadores atônitos em relação ao perfil de habilidades e

de competê ncias. O que aumenta a possibilidade de empregabilidade no

mundo de hoje é a ê nfase nas habilidades básicas e gerais. Tem grande

importância a capacidade de análise, a capacidade de resolver

problemas, a capacidade de tomar decisões e, sobretudo, ter

ϱ

flexibilidade para continuar aprendendo. Isto mostra, também, a sintonia

da lei com este novo panorama.

As novas diretrizes curriculares para o ensino médio

Em primeiro lugar, as novas diretrizes consideram a questão da

identidade e da diversidade. Nossa proposta é que o ensino médio

supere a dualidade profissional ou acadê mica e adquira uma

diversidade que pode ser mais voltada para o trabalho ou mais

acadê mica, dependendo da clientela. Demos uma interpretação própria

para o mandato da LDB de que o currículo deve ter uma base nacional

comum e uma parte diversificada, esta última de acordo com as

exigê ncias da clientela. Consideramos que a base nacional comum

também tem de estar de acordo com as exigê ncias. Um currículo não

pode dividir-se em base nacional comum e parte diversificada; ele é um

todo orgânico e vivo pois está em permanente ajuste e mutação.

Destacamos intensamente a preparação básica para o trabalho,

que tem de estar presente na educação básica, de modo a possibilitar

escolas com vocações inteiramente diferentes. Há escolas com mais

vocação para a área biológica, outras para a linguagem ou para ciê ncias

exatas e para as ciê ncias sociais. O currículo vai se organizar em trê s

grandes áreas de conhecimento, correspondendo exatamente àquelas

tradicionais:

a área das linguagens, seus códigos de apoio e suas

tecnologias

a área das ciê ncias da natureza e suas tecnologias

a área das ciê ncias humanas e sociais e suas tecnologias.

Afirmar que o currículo será organizado por área de conhecimento

não significa eliminar as disciplinas, mas colocá-las em um permanente

ϲ

diálogo conforme as afinidades entre elas e delas com os problemas da

realidade que se quer que os alunos compreendam e interpretem para

propor soluções.

Nestas áreas nã o sã o descritos conteúdos, mas competê ncias

pessoais, intelectuais e sociais que os alunos deverão adquirir durante o

percurso pelo ensino médio. Não se fixa nenhuma proporção em que as

áreas deverão estar presentes nos currículos. Diz-se apenas que as trê s

áreas deverão estar representadas, mas nã o se diz nem em que

proporção. E, sobretudo, não se menciona nenhuma disciplina ou

conteúdo específico em cada área.

Na área de ciê ncias humanas, por exemplo, é possível haver

estudos de direito como é possível haver estudos de sociologia ou de

antropologia, ou de história e geografia. Da mesma

...

Baixar como  txt (29.4 Kb)   pdf (98 Kb)   docx (27 Kb)  
Continuar por mais 43 páginas »
Disponível apenas no Essays.club