Essays.club - TCC, Modelos de monografias, Trabalhos de universidades, Ensaios, Bibliografias
Pesquisar

CONSEQUÊNCIAS DA PRIVAÇÃO DO SONO E TRANSTORNO DO SONO

Por:   •  6/12/2018  •  1.614 Palavras (7 Páginas)  •  0 Visualizações

Página 1 de 7

...

Já foram descobertos mais de cem distúrbios do sono, porem eles podem ser classificados em quatro grandes categorias:

- Dificuldade de adormecer ou permanecer dormindo;

- Problemas para permanecer acordado;

- Problemas para conseguir manter uma rotina regular de sono;

- Comportamentos incomuns durante o sono.

2.3 Parassonias

As parassonias são transtornos do sono, que geralmente acontecem no início do sono, podendo ocorrer também um pouco antes do corpo acordar. Prevalece em crianças, podendo perdurar para a adolescência, e mais dificilmente para a vida adulta. Ocorrem mais especificamente no sono NREM e não se tem informação de ser herança genética, mesmo sendo bem comum entre históricos familiares.

Umas das parassonias são: Terror Noturno, Despertar Confusional e Sonambulismo.

- Terror Noturno:

Cerca de 2% a 3% das crianças e adultos sofrem de terror noturno. Associado a vários sintomas motores e autonômicos bem intensos, como, dilatação pupilar, taquicardia, e até mesmo gritos. Acontecem geralmente no sono NREM, e são comumente associados a sonhos, o que ao contrário do pesadelo no sono REM, faz com que o sujeito tenha resistência ao consolo, e tem um término súbito. Pode ser tratado com alguns tipos de medicamentos.

- Despertar Confusional:

É o primeiro estágio após acordar, caracterizado por ações automáticas e confusões na fala. Mais comum em crianças, especificamente antes dos cinco anos, sendo nelas algo com aparência até natural e comum. Tem uma resolução espontânea. Tratando-se dos adultos, talvez seja um pouco mais preocupante, já que esse estágio dura mais tempo, tendo a chance de acontecer situações inapropriadas, tratamento farmacológico geralmente não necessário.

- Sonambulismo:

Raramente tendo início da vida adulta, o Sonambulismo costuma persistir na adolescência. Caracterizado por ações no momento do sono, andar, pegar coisas, abrir a geladeira, sem que isso seja lembrado pelo indivíduo ao acordar. Também não há a necessidade de tratamento farmacológico, porém há casos que são receitados.

2.4 Memória

A memória e nossas propriedades básicas do sistema nervoso, informações disponíveis, internamente, no cérebro, como amar, imaginar, criar, andar, armazenar, recuperar, adquirir entre outras.

Existem diversos fatores que ocasiona a perda de memória, sendo um dos principais fatores a ansiedade, porem pode estar associado a diversas condições como:

- Depressão

- Alterações do sono

- Uso de remédios

- Hipotireoidismo

- Infecções ou doenças neurológicas

- Doença de Alzheimer.

Como citado acima o Alzheimer, quase sempre nos vem em mente quando nos referimos a perda de memória, por ser uma doença com alto grau de relevância principalmente na fase idosa da vida, ela se ocasiona devido os neurônios estarem se degenerarem e morrendo, nada tão repentino leva em torno de 10 anos para que a doença atinja totalmente o lobo cerebral, como veremos na Imagem 1 abaixo:

Imagem 1 – Lobo cerebral afetado pela Alzheimer

[pic 1]

Fonte: Google imagens, 2017[1]

Existem fatores os quais podemos fazer, para prevenir a retardação da memória, como nos alimentar saudavelmente procurando sempre manter a alimentação balanceada com bastante vitamina C e ômega três encontrados nos peixes.

Praticar exercícios físicos por três vezes na semana, pois melhora a circulação sanguínea que vai para o cérebro, dormir no mínimo de seis a oito horas por dia para consolidação da memória adquiria ao longo do dia, procurar tratamento para casos de depressão e ansiedade, evitar o uso de remédios para dormir.

Não fazer o uso de bebida alcoólica e drogas, pois são altamente tóxicos para o cérebro, acelerando a perda de memória e dificultando o raciocínio.

Evitando os fatores citados e possível ter uma ótima qualidade de vida, evitando a perda de memória, até mesmo na 3ª idade.

2.5 Insônia

A insônia é caracterizada por ser um distúrbio que atrapalha a capacidade de uma pessoa adormecer ou de continuar dormindo. As pessoas que sofrem de insônia já começam seus dias com cansaço excessivo, com problema no humor e muita falta de energia, logo, seus desempenhos para os estudos e no trabalho acabam sendo prejudicados devido ao distúrbio.

Algumas pessoas apresentam a insônia crônica, que pode ter uma duração muito maior do que o normal. Tal distúrbio poder ser classificado como secundário, causado por doenças ou uso de medicações.

Existem muitas causas para insônia, como o estresse por exemplo, as preocupações relacionadas ao dia -a – dia podem manter a mente trabalhando durante o período noturno. Outro caso muito comum é a ansiedade ou até mesmo a depressão. Algumas condições medicas podem estar associadas a insônia, como artrite, câncer, AVC, doença de Alzheimer, distúrbios da tireoide e entre outros.

As irregularidades do sono podem causar a insônia, como dormir e acordar em horários diferentes por vários dias ou dormir em lugares inapropriados.

Esse distúrbio pode estar ligado ao fator da idade. Barulhos ou ruídos podem acordar muito facilmente uma pessoa mais idosa do que uma pessoa mais jovem. Com o relógio biológico, a pessoa quanto mais velha sente-se cansada mais cedo e por consequência acorda mais cedo. A falta de atividades físicas de forma regular pode interferir em uma boa noite de sono, logo que uma pessoa que não faz exercícios terá mais tempo para sonecas durante o dia assim atrapalhando o sono durante a noite.

Diversas pessoas podem apresentar um quadro de insônia, porem o risco deste distúrbio é maior em pessoas do sexo feminino, já que há muitas mudanças hormonais durante o ciclo e a menopausa, as pessoas acima dos 60 anos, por conta dos problemas de saúde,

...

Baixar como  txt (12.8 Kb)   pdf (59.5 Kb)   docx (18.8 Kb)  
Continuar por mais 6 páginas »
Disponível apenas no Essays.club