Essays.club - TCC, Modelos de monografias, Trabalhos de universidades, Ensaios, Bibliografias
Pesquisar

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS

Por:   •  17/1/2023  •  Trabalho acadêmico  •  1.669 Palavras (7 Páginas)  •  23 Visualizações

Página 1 de 7

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

Empreendimento:  INDUSTRIA DE MADEIRAS GIACOMELLI

Atividade: FABRICAÇÃO DE ARTEFATOS/ESTRUTURAS DE MADEIRA (EXCETO MÓVEIS)

Endereço: RUA JOAO SCHU S/N°

Três de Maio/RS, 2018.

  1. LISTA DE ANEXOS

Anexo 1. Instruções de descarte de plástico e papelão.

Anexo 2. Instruções de descarte resíduos sólidos urbanos.

Anexo 3. Planilha mensal de geração de resíduos.

INTRODUÇÃO

A geração de resíduos vem aumentando assustadoramente em todo o planeta. Visando a melhoria da qualidade de vida atual e a manutenção das condições ambientais favoráveis à vida da atual e futura geração, faz-se necessário o desenvolvimento de estudos, projetos, práticas e conscientização ambiental por parte de toda a sociedade.

A revista veja, há anos já mostrava os problemas decorrentes da grande geração de resíduos:

“O lado trágico desta história é que o lixo é um indicador curioso de desenvolvimento de uma nação. Quanto mais pujante for à economia, mais sujeira o país irá produzir. É o sinal de que o país está crescendo, de que as pessoas estão consumindo mais. O problema está ganhando uma dimensão perigosa por causa da mudança do perfil do lixo. Na metade do século, a composição do lixo era predominantemente matéria orgânica, de restos de comida. Com o avanço da tecnologia, materiais como plásticos, isopores, pilhas, baterias de celular e lâmpadas são presença cada vez mais constante na coleta. Há cinqüenta anos, os bebes utilizavam fraldas de pano, que não eram jogadas fora. Tomavam sopa feita em casa e bebiam leite mantido em garrafas reutilizáveis. Hoje, os bebes usam fraldas descartáveis, tomam sopa em potinhos que são jogados fora e bebem leite embalados em tetrapak. Ao final de uma semana de vida, o lixo que eles produzem equivale, em volume, quatro vezes seu tamanho.”

Surge assim, o questionamento de quantos planetas serão necessários para “guardar” todos estes resíduos. A cada dia que passa mais e mais resíduo são gerados no planeta, e tão logo não haverá mais locais para sua destinação. Enquanto isso, o meio ambiente é degradado pelos processos impróprios de processamento dos resíduos, o que leva não apenas à morte e contaminação de ecossistemas inteiros, mas aumenta os casos de doenças e a mortalidade, especialmente de crianças e idosos, pois o lixo é a “casa” ideal de vetores transmissores de doenças como ratos, baratas, mosquitos, etc.

Um dos maiores problemas do lixo é que grande parte das pessoas pensa que basta jogar o lixo na lata e o retirar de sua moradia que o problema da sujeira vai embora vai estar resolvido. A lata de lixo não é um desintegrador mágico de matéria, e o lixo continua existindo mesmo depois de ser jogado nela, e a partir disso, surge a necessidade do seu gerenciamento.

Ao mesmo tempo em que são geradas toneladas de lixo, vemos milhões de pessoas miseráveis que são obrigadas a se misturarem e disputarem com animais a comida necessária para sua sobrevivência. Além disso, outros milhões moram sobre os lixões, tirando destes, sua sobrevivência através da comercialização destes resíduos.

O povo brasileiro está cada vez mais consciente de que a qualidade de vida em nosso planeta sofre sérias ameaças diante do vertiginoso crescimento da produção industrial. Aos poucos, o cidadão começa a perceber que o meio ambiente não é uma fonte inesgotável de recursos, capaz de assegurar permanentemente o processo de crescimento econômico.

O meio ambiente apresenta nítidos sinais de esgotamento, com a contaminação dos recursos hídricos, a desertificação, a destruição da camada de ozônio, o aquecimento global, a escassez e falta de água. Esses são alguns exemplos dos reflexos da atividade humana sobre o meio ambiente e que já estão afetando o dia-a-dia das pessoas. O desaparecimento de florestas e de espécies da fauna e da flora, infelizmente, já é uma realidade incontestável.

INFORMAÇÕES GERAIS

Projeto

Sistema de Gestão de Resíduos Sólidos da empresa INDUSTRIA DE MADEIRAS GIACOMELLI, CNPJ 91257089/0001-21, na cidade de Três de Maio/RS.

Autoria do projeto

Fernando Rafael Simon

Biólogo – CRBio 095285

Categoria

        Meio Ambiente

Comitê gestor

Equipe de colaboradores do empreendimento e técnico contratado.

Público alvo

Colaboradores, administração, direção da empresa e comunidade.

JUSTIFICATIVA

O presente Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos - PGRS, foi elaborado com o intuito de servir como instrumento na adoção e implantação de um sistema de gerenciamento integrado de resíduos sólidos no empreendimento INDUSTRIA DE MADEIRAS GIACOMELLI que executa a atividade de FABRICAÇÃO DE ARTEFATOS/ESTRUTURAS DE MADEIRA (EXCETO MÓVEIS) – CODRAM 1540-00. Trata –se de uma importante ferramenta para que a filosofia adotada pela empresa tenha validade e neste sentido, além de atender a legislação vigente, estará adotando uma postura coerente e servirá de exemplo para toda a comunidade, atendendo seu papel social.

OBJETIVO GERAL

Implantar o sistema de gestão integrado de resíduos sólidos na empresa   INDUSTRIA DE MADEIRAS GIACOMELLI.

Objetivos específicos

- Diagnosticar os resíduos, quanto à sua geração, quantidade e tipologia;

- Avaliar o sistema operacional atual dos resíduos;

- Avaliar o meio físico (acondicionamento e depósito);

- Propor as adequações necessárias.

METODOLOGIA

          O trabalho de diagnóstico dos resíduos na empresa iniciou no mês de Fevereiro. Os dados obtidos foram levantados, através de entrevistas com o proprietário e com os colaboradores da empresa. Nesse processo também ocorreu observações no local.

...

Baixar como  txt (12.9 Kb)   pdf (172.4 Kb)   docx (34.9 Kb)  
Continuar por mais 6 páginas »
Disponível apenas no Essays.club