Essays.club - TCC, Modelos de monografias, Trabalhos de universidades, Ensaios, Bibliografias
Pesquisar

RELATÓRIO DE VISITA AO CENTRO CIRÚRGICO

Por:   •  21/9/2017  •  1.480 Palavras (6 Páginas)  •  4.239 Visualizações

Página 1 de 6

...

Quanto aos recursos humanos o CC deve ter uma composição de pessoal que se divide em equipes cirúrgicas, de anestesiologias, de enfermagem, administrativa e de higiene, e tem objetivo de assistir adequadamente as necessidades do paciente. É de extrema importância que seus componentes atuem de forma harmônica e integrada para a segurança do indivíduo hospitalizado e a eficiência do ato anestésico cirúrgico visto o ambiente intenso que o setor por sua finalidade apresenta.

Centro Cirúrgico HRJL

Conforme observado em aula prática realizada em 04/11/2014 sob supervisão do Prof. Francisco De Deus, o CC do Hospital Regional Justinho Luz possui a seguinte estrutura física e organizacional: sua localização esta implantada depois da ala A e antes da B e C. a entrada situa-se em um corredor estreito com acesso para seu interior por uma porta de madeira verde. Logo à entrada temos a sala de recepção do paciente onde ele é removido para dentro do CC através da maca própria do setor evitando a entrada da que veio com o paciente da enfermaria. Como não há sala de espera para o acompanhante o mesmo tem de esperar no corredor que dá acesso ao centro cirúrgico. Ao lado tem-se o vestiário dos profissionais, alunos e professores dividido em masculino e feminino que é acompanhado pela sala de entrada dos mesmos, que já devem estar paramentados com roupa cirúrgica touca, máscara e propés.

Adiante tem-se a sala de esterilização que se localiza dentro do centro cirúrgico, mas que atende a todo o hospital, não contando para isso com uma sala de distribuição, essencial para a agilização do serviço.

Seguindo tem-se a copa onde os funcionários podem fazer suas refeições sem precisarem sair do CC, já que não é permitido que eles saiam, caso aconteça é preciso que se troque a roupa cirúrgica pelo fato de a que estava fora do centro ter sido contaminada pelos extras corredores do CC. Mais a frente temos a sala de expurgo onde são colocadas os materiais contaminados e sujos como lençóis e instrumentais que serão encaminhados a lavagem e esterilização.

Indo para o outro lado encontra-se a sala de parto normal e cuidados ao RN onde se faz o processo do parto normal e presta-se os primeiros cuidados ao recém-nascido.

Ultrapassando uma segunda porta chega-se a área administrativa do CC, coordenada pelo enfermeiro(a) administrativo onde são coletados e registrados todos os dados do paciente, a que tipo de procedimento ele irá se submeter, quem são os profissionais que estarão presente e demais dados necessários a continuação do tratamento cirúrgico.

O lavabo contém torneiras com acionamento a pedal onde há a possibilidade de uso do degermante clorexidina para a limpeza das mãos e antebraço. O ideal seria um lavabo para cada duas salas de operação (SO), o que se tem no hospital é somente um, demonstrando ser insuficiente.

Quanto as salas de cirurgias são num total de quatro: uma sala ortopédica, duas de clínica geral e parto cesáreo e uma sala vascular. A entra das salas se dá por portas de vai e vem em madeira e com pequenas aberturas centrais de vidro para visualização interior, o ideal seria portas de correr para evitar a entrada de ar contaminado para dentro da sala de operação. O amortecimento do contato da maca com a porta é feito através de uma barra de madeira central à porta que poderia ser substituída por um de borracha para minimizar o desgaste e impacto. Além disso pode-se detectar pequena falha no fechamento da porta da segunda sala clínica geral anteriormente a vascular, por a mesma esta descolada da dobradiça de suporte, o que dificulta, principalmente, seu fechamento.

No interior das salas percebe-se o uso de foco inadequado com iluminação incandescente em alguns o que aumenta o aquecimento, reflexos e sombras em cima do sitio cirúrgico. As mesas são semimóveis, enquanto que a da sala vascular encontra-se desnivelada pondo em risco o posicionamento seguro do paciente. Estão também presente o carro de anestesia e negatoscópio, no caso da ortopédica, e o carrinho de parada está a extra sala cirúrgica, sendo um para todo o setor. O sistema de ar condicionado não possui uma capacidade de filtrar as impurezas a fim de diminuir a carga microbiana assim como gases anestésicos e renovação do ar. Por último tem-se a sala de descanso dos profissionais e o almoxarifado.

Referências

Práticas Recomendadas SOBECC/ Sociedade Brasileira De Enfermeiros De Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica E Centro De Material De Esterilização. 5 Ed. São Paulo: SOBECC, 2009.

...

Baixar como  txt (9.6 Kb)   pdf (81.6 Kb)   docx (13.1 Kb)  
Continuar por mais 5 páginas »
Disponível apenas no Essays.club