Essays.club - TCC, Modelos de monografias, Trabalhos de universidades, Ensaios, Bibliografias
Pesquisar

REVISÃO CRITICA SOBRE O USO DA SIBUTRAMINA NO TRATAMENTO DA OBESIDADE SUA EFICACIA E SEGURANÇA

Por:   •  30/12/2018  •  Dissertação  •  1.714 Palavras (7 Páginas)  •  23 Visualizações

Página 1 de 7

UNIVERSIDADE

SUSI

REVISÃO CRITICA SOBRE O USO DA

SIBUTRAMINA NO TRATAMENTO DA OBESIDADE SUA EFICACIA E SEGURANÇA

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS – SP

2018

________________

SUSI

REVISÃO CRITICA SOBRE O USO DA

SIBUTRAMINA NO TRATAMENTO DA OBESIDADE SUA EFICACIA E SEGURANÇA

Trabalho de Conclusão de Curso para obtenção do título de Bacharelado em Farmácia apresentado à Universidade .

Orientador: Prof. Me.

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

2018

________________

RESUMO

APROXIMADAMENTE 250 PALAVRAS

ABSTRACT

SUMÁRIO

NÃO TEM

Introdução

A obesidade caracteriza-se pelo acúmulo excessivo de tecido adiposo no organismo. É apontada como uma doença com causa multifatorial e dependente da interação de fatores genéticos, metabólicos, sociais, comportamentais e culturais. Na atualidade é descrita como um dos principais problemas de saúde pública, fundamenta- se como uma epidemia mundial responsável pelo imenso aumento da morbimortalidade.1

Segundo pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2008-2009, realizada em união entre o Instituto Brasileiro de Geografiae Estatística (IBGE) e o Ministério da Saúde, este levantamento analisou 50% dos homens e 48% das mulheres encontra-se com excesso de peso, sendo que 12,5% dos homens e 16,9% das mulheres apresentam obesidade.1

Inúmeros fatores são fundamentais para desencadear a obesidade como os genéticos, fisiológicos e resultantes de fatores externos, associados ao hábito alimentar e à mudança no estilo de vida.2

Atualmente, existe vários fármacos indicados para o tratamento da obesidade entre eles está o sacietogénosibutramina.3

A Sibutramina é eficaz no tratamento da obesidade, e dos componentes da síndrome metabólica, agindo no cérebro, tendo sua ação farmacológica basicamente relacionada à inibição da recaptação de serotonina e norepinefrina, que são neurotransmissores que permanecem em grande quantidade e por maior tempo na fenda sináptica, ocasionando assim um maior tempo de sensação de saciedade.1

Sintetizada em 1980, a sibutramina designada a ser um antidepressivo, mostrou ser promissora no tratamento da obesidade, foi primeiramente destinado para o uso em humanos em 1984. É um fármaco de uso controlado a venda é somente permitida com receita médica tendo sua receita retida na farmácia.4

O fármaco encontra-se disponível com os nomes comerciais de Biomag(Ache) ,Sibus (Eurofarma) , Monoidrato de Sibutramina Genéricos (Germed , Biossintetica , Euro , Teuto) e formulas manipuladas nas farmácias magistrais.4

A sibutramina é capaz de desenvolver uma melhora no perfil lipídico do usuário e portando reduzir o peso, podendo ser responsável pela redução das comorbidades associadas à obesidade. Atuando assim na diminuição do peso promovendo um aumento da sensação de saciedade, atuando sobre a compulsão alimentar e como inibidora da sensação da fome.5

Estudos farmacocinéticos realizados demonstram que a sibutramina é aceleradamente e eficientemente absorvida no trato gastroinstestinal, sofrendo metabolismo de primeira passagem sistêmica e biotransformação hepática.6

A sibutramina tem uma importância na perda de peso em ambos os períodos, porém foi mais evidente nos seis meses finais, quando a aderência às mudanças dietético-comportamentais começou a falhar. Esse fármaco pode ser considerado um bom coadjuvante na perda de peso, principalmente nos momentos em que a aderência não estiver satisfatória.7

A sibutramina não mantém seu efeito após a parada de sua administração, de modo que, se o paciente não modificar seus hábitos, os benefícios conseguidos se perderão no tempo. No Brasil, essa droga ainda é comercializada, porém com maior rigor e vigilância. Na Europa e EUA estava suspensa em 2010.8

A sibutramina reduz a ingestão de alimentos e o peso corporal mais do que o placebo e tem efeitos positivos sobre o perfil lipídico (principalmente triglicérides e colesterol de lipoproteína de alta densidade), controle glicêmico e marcadores inflamatórios em estudos por até um ano. Estudos preliminares mostraram que a sibutramina também pode melhorar outros distúrbios associados à obesidade, como síndrome dos ovários policísticos, hipertrofia ventricular esquerda, transtorno de compulsão alimentar periódica e obesidade na adolescência. As altas taxas de descontinuação e alguns problemas de segurança, principalmente devido ao aumento da pressão arterial e da freqüência cardíaca, devem ser considerados. Além disso, ainda não foi estabelecido que o tratamento com sibutramina reduzirá os eventos cardiovasculares e a mortalidade total.9

A sibutramina parece ser segura e eficaz na produção de perda de peso clinicamente significativa por até 1 ano. Estudos clínicos prospectivos mais longos com sibutramina são necessários para avaliar sua segurança (efeito sobre a pressão arterial) e a capacidade de manter a perda de peso, melhorar os perfis metabólicos e reduzir o risco de doenças cardiovasculares.10

A sibutramina, com os nomes comerciais Meridia® e Reductil®, é uma droga administrada por via oral atualmente aprovada nos Estados Unidos da América, e até recentemente aprovada também na Europa, para o tratamento de longo prazo da obesidade. É uma β-fenetilamina [4] que, quando administrada em doses de 5-15 mg / dia e em conjunto com a terapia de estilo de vida (dieta calórica reduzida, exercício físico e terapia comportamental alimentar), pode induzir um efeito modesto, porém significativo 5-10 % de perda de peso corporal (4-8 kg) na maioria dos pacientes obesos e com excesso de peso. A capacidade da sibutramina em reduzir

...

Baixar como  txt (12.2 Kb)   pdf (71.4 Kb)   docx (20.4 Kb)  
Continuar por mais 6 páginas »
Disponível apenas no Essays.club