Essays.club - TCC, Modelos de monografias, Trabalhos de universidades, Ensaios, Bibliografias
Pesquisar

GESTÃO DA LIDERANÇA NO SETOR DA INDÚSTRIA MECÂNICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E O IMPACTO NA PRODUTIVIDADE.

Por:   •  25/12/2018  •  1.849 Palavras (8 Páginas)  •  71 Visualizações

Página 1 de 8

...

O investimento na formação de líderes é com escopo limitado, simplesmente, a fim de prepará-los para lidar com situações interpessoais, porém, com o atual cenário em constante mudança, as situações tornam-se, rapidamente, complexas e exigem do líder várias competências individuais que possibilitam ver sob diversos ângulos a mesma situação, forçando a atuar de forma diferenciada, não rotineira, experimentando novas alternativas de ação. Os líderes aparecem em vários ambientes, desde à chefia até o chão da fábrica, e percebo que se é formado um TIME, onde cada colaborador tem a consciência de que é importante sua participação até o alcance do produto final, todo Clima Organizacional mudará e minimizar-se-ão os conflitos.

Pretendo abordar a gestão de liderança com foco no setor de Indústria Mecânica, a fim de contribuir, de modo diferente, no impacto que os conflitos entre colaboradores e líderes provocam na produtividade.

2 TÍTULO DO ARTIGO

GESTÃO DA LIDERANÇA NO SETOR DA INDÚSTRIA MECÂNICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E O IMPACTO NA PRODUTIVIDADE.

3 MOTIVO E JUSTIFICATIVA

3.1 MOTIVO DA ESCOLHA DO TÍTULO

A razão de escolher o tema para fazer este Artigo é baseada na observação diária dos processos produtivos na própria Indústria Mecânica em que trabalho. Neste Artigo a identificação dos conceitos e das características necessárias para uma liderança eficaz e que possam ser aplicadas nas áreas produtivas, em geral, demonstra a importância de fomentar a Liderança no lugar da chefia tradicional, quebrando, assim, alguns paradigmas da própria cultura da Empresa com um efeito colateral positivo, que seria o desenvolvimento de novos talentos, aumentando assim, o valor intrínseco do seu capital humano dentro de um ambiente sem conflitos.

3.2 JUSTIFICATIVA

O diferencial do artigo consiste discutir a Gestão da Liderança como mola propulsora da produtividade na Indústria Mecânica e seu resultado operacional, sendo demonstrado como processo simples, completo e de melhoria contínua.

As atividades na Indústria Mecânica são complexas: fundir e usinar peças de bronze com alta qualidade requer conhecimento e cada colaborador tem uma especificidade e, naturalmente, as ações devem ser respeitadas pelo líder e compartilhada por entre todos, pois, se um errar, o produto final será prejudicado.

A premissa: quem detém a informação, detém o poder, não pode, na atual estrutura das Organizações, ter lugar comum.

4 CONCEITOS-CHAVE DO ARTIGO

4.1 DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

O desenvolvimento profissional é a estimulação do crescimento pessoal do colaborador na Empresa, preparando-o para os desafios e a concorrência. O assunto foi abordado por Idalberto Chiavenato em seu livro “Gestão de Pessoas: o novo papel dos Recursos Humanos nas Organizações.”, editado em 2010. Isto, consequentemente, envolve a eficácia de um líder, enquanto administrador do sentido e, consequentemente, agente de mudança, apoia suas bases no profundo conhecimento, não somente do contexto cultural da Organização, mas também, na sua habilidade interpessoal em conhecer aqueles que dependem dele, facilitando sua chegada até a autorrealização. Importante abordar este tema no Artigo uma vez que, respaldado pelo referido autor, é primordial saber lidar com as pessoas.

4.2 LIDERANÇA

Um líder é capaz de influenciar um grupo em direção ao alcance dos objetivos, enfrentando mudanças e superando os obstáculos necessários. O assunto pode ser lido no livro “Administração de Recursos Humanos: do operacional ao estratégico.”, de Jean Pierre Marras lançado em 2009, onde o autor destaca que um líder deve criar um estilo de liderança baseado em duas premissas: ter nível de desenvolvimento dos membros da equipe e, situação a ser enfrentada ou resolvida. Através dos estudiosos no assunto mostrarei que, realmente, podem ser complexas as forças que estão em jogo, na tentativa do líder em adequar seu comportamento à situação. Com isto, maior profundidade é acrescentada ao estudo da liderança. Se, para as colocações teóricas iniciais, o traço de liderança era inato, agora, com os teóricos atuais, esta característica pode ser desenvolvida. Instala-se, a partir desse novo enfoque, a crença de que qualquer um pode ser um bom líder, basta que seja preparado para tanto. A partir desse momento, começa a surgir um grande número de programas de treinamento e desenvolvimento em liderança, avidamente consumido pelas Organizações empresariais do mundo todo.

4.3 MOTIVAÇÃO

A motivação é a vontade de fazer altos níveis de esforços em prol de um objetivo, e está condicionada à capacidade do esforço de satisfazer alguma necessidade do indivíduo. E por se tratar de um processo de satisfação de necessidades, quanto mais o indivíduo está motivado, mais ele se esforça e produz. Foi descrito por Stephen P. Robbins em seu livro “Comportamento organizacional” lançado em 2010.

Existem razões muito especiais que justificam o crescente interesse de pesquisadores e autores a respeito da inevitável união entre aqueles pontos comuns que interligam a dinâmica motivacional e a eficácia da liderança. Estes dois termos, a partir de um determinado momento, parecem, definitivamente, unidos na teoria e na prática por uma relação de causa e efeito; segundo o autor, referindo-se à teoria das trocas, destaca como é importante no fator de eficácia na liderança, o equilíbrio que deve ocorrer entre as expectativas de um subordinado e as respostas comportamentais oferecidas por seu líder. Isto sugere que a aceitação de um líder será tanto maior quanto mais ele for considerado como facilitador da consecução daqueles objetivos almejados pelos seus subordinados, por isto, neste Artigo abordarei a motivação provocada pela inter-relação entre líder e colaboradores.

5 OBJETIVOS DO ARTIGO

5.1 OBJETIVO PRINCIPAL

Analisar a gestão de liderança no setor da Indústria Mecânica no Rio de Janeiro e os impactos na produtividade.

5.2 OBJETIVOS SECUNDÁRIOS

5.2.1 Analisar os fatores que estimulam o desenvolvimento

...

Baixar como  txt (13.3 Kb)   pdf (58.4 Kb)   docx (18.2 Kb)  
Continuar por mais 7 páginas »
Disponível apenas no Essays.club