Essays.club - TCC, Modelos de monografias, Trabalhos de universidades, Ensaios, Bibliografias
Pesquisar

A Atividade Respondida

Por:   •  24/5/2022  •  Trabalho acadêmico  •  1.681 Palavras (7 Páginas)  •  26 Visualizações

Página 1 de 7


[pic 1]

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO

CAMPUS DE COELHO NETO

PROFESSORA: DAISY DAMASCENO ARAUJO

DISCIPLINA: HISTÓRIA I

NOME: RAIANDERSON HENRIQUE DA SILVA OLIVEIRA

DATA: 29/01/2022

ATIVIDADE AVALIATIVA

(REC3º bimestre – 2021)

1. Egípcios, mesopotâmicos, hebreus, fenícios e persas apresentaram grandes realizações, muitas delas influenciando outros povos e culturas. Além deles, vimos diversos elementos da cultura greco#romana (Grécia e Roma), a chamada Antiguidade Clássica, presentes nos dias de hoje. De certa maneira, muito da cultura ocidental atual conta com seus feitos. Vamos estabelecer uma “comparação” entre alguns dos povos da Antiguidade?

CIVILIZAÇÃO 

LOCALIZAÇÃO

ECONOMIA

SOCIEDADE

GOVERNO

CULTURA

RELIGIÃO

PERÍODO

EGITO

Situado no nordeste da África, o Egito Antigo limitava-se ao norte com o mar Mediterrâneo, ao sul com a Núbia (atual Sudão), a leste com o mar vermelho e a oeste com o deserto da Líbia.

A base da economia do Egito Antigo era a agricultura.

A sociedade era hierárquica, ou seja, cada segmento possuía funções e poderes determinados, sendo que os grupos com menos poderes tinham que obedecer quem estava acima.

No Egito Antigo, o governo era monárquico e teocrático (poder político fundamentado no poder religioso).

A cultura do Antigo Egito aparece a partir do modo de vida, costumes e tradições da antiga sociedade egípcia.

Os egípcios eram um povo politeísta, por conta disso acreditava em vários deuses ao meso tempo.

É dividido em dois períodos: Pré-dinástico, desde a formação das primeiras comunidades até a 1ª dinastia de faraós; e Dinástico, com três fases principais, Antigo, Médio e Novo Império.

ASSÍRIA

A Assíria localizava-se no norte da Mesopotâmia (atual Iraque), a longo dos rios Tigre e Eufrates.

Baseava-se na agricultura, no comércio e, principalmente, nas “rendas” vindas das guerras.

Os assírios eram povos semitas. O império foi formado após a queda do império acadiano. Ficaram conhecidos por integrarem uma sociedade guerreira, cruel e implacável.

Formou-se na Assíria, ao longo do tempo, um corpo burocrático bastante eficiente. Muitos deles eram epônimos, e, portanto, davam nome ao ano.

A principal contribuição cultural assíria ocorreu no campo da arte e da arquitetura, especialmente no período neoassírio (1117–612 a.C.)

A religião seguia as bases dos cultos praticados pelos sumérios.

Cada cidade era dedicada a um deus específico, e os deuses mais importantes do panteão assírio dependiam da influência de suas cidades na política doméstica.

Existiu como um Estado talvez desde o século XXV a.C. (na forma da cidade-Estado de Assur)[1] até seu colapso entre 612 e 609 a.C. - abrangendo os períodos do início ao meio da Idade do Bronze até o final da Idade do Ferro.

BABILÔNIA

Babilônia (cidade) está localizada a aproximadamente 65 a 80 quilômetros ao sul da atual Bagdá, e 480 quilômetros ao sul da Golfo Pérsico.

Até o início do império, a economia na Babilônia era baseada na agricultura.

Era constituída pelas pessoas livres da classe alta (awilu), os escravos recrutados entre os prisioneiros de guerra (wardu) e os indivíduos livres de estatuto inferior (mushkenu).

Entre os séculos XXVI a.C. até o XXII a.C., a cidade da Babilônia era uma pequena aldeia sob o domínio de outro reino, um pedaço do império de Ur. Em seguida foi conquistada pelos amoritas e logo se tornou independente

A sua cultura foi construída com base na; arte, arquitetura, medicina, astronomia, literatura, matemática e filosofia.

A sua cultura é divida em dois tempos, Babilônica (arte e arquitetura, medicina, astronomia e literatura) e, Neobabilônica onde houve um ressurgimento da cultura babilônica nos séculos VI e VII a.C. foi acompanhado por uma série de importantes desenvolvimentos culturais (astronomia, matemática e filosofia).

Surgiu em 1 894 a. C. Em um pequeno estado governado pelos amorreus, que continha a pequena cidade administrativa da Babilônia. E tempos depois foi dissolvida em 538 a. C.

FENÍCIOS

A Civilização Fenícia foi uma civilização da Antiguidade cujo epicentro se localizava no norte da antiga Canaã, ao longo das regiões litorâneas dos atuais Líbano, Síria e norte de Israel.

Baseava-se no comércio marítimo, sendo que eram comercializados produtos agrícolas como o azeite, cereais, vinhos e óleos produzidos pelo povo fenício.

A sociedade fenícia tinha um governo centralizado. O governo era dominado por comerciantes e aristocratas. A base da população fenícia era composta por marinheiros, artífices, camponeses e escravos.

Os fenícios praticavam um tipo de governo, a

Talassocracia, que significa um governo comandado por homens ligados ao mar. A Fenícia era dividida em cidades-estados, que eram inteiramente independentes e cada uma ficava sob o governo de um rei.

A cultura fenícia recebeu influências dos povos que eles comercializavam a ponto de muitos estudiosos identificarem poucos elementos originais. No entanto, destacaram-se na cunhagem de moedas e imprimiram ali os desenhos de seus barcos e mitos. Utilizavam a música e a dança para louvar os deuses em rituais realizados no campo ou no centro das cidades.

A religião da Fenícia era o Politeísmo onde praticavam rituais de sacrifício de animais. Os fenícios cultuavam, principalmente, três deuses, que são conhecidos por nomes diferentes: El – era o deus máximo; Asherah – esposa de El e Baal – filho de El e Astarte.

Os fenícios, se organizavam politicamente em cidadas-estados, que emergiram por volta de 1200 a. C. Ameaçadas desde o século VIII a. C. As maiores eram Arados, Biblos, Beritos (atual Beirute), Sidon e Tiron. Mas essas cidades de fenícia foram dominadas pelo, rei de Pérsia em 539 a. C. Perdendo assim sua independência.

PERSAS

Os persas compuseram uma das civilizações da Antiguidade, localizada ao leste da Mesopotâmia, onde atualmente situa-se o Irã. Esta civilização se fixou entre o Golfo Pérsico e o Mar Cáspio por volta de 550 a.C.

Os persas viviam da agropecuária, da mineração, do artesanato e dos impostos. A construção da Estrada Real propiciou o desenvolvimento do comércio, pois tornou as viagens mais rápidas e seguras.

No topo da sociedade estava o rei, abaixo do rei estavam os aristocratas (sacerdotes, nobreza e os grandes comerciantes). Depois a população de (pequenos comerciantes, artesãos e soldados).

O império persa atingiu o seu ápice no governo de Dario I, que conquistou muitos territórios e implementou uma política fortificada para a Pérsia. Quando Dario I ascendeu ao trono do império persa, o sistema administrativo do reino já era reconhecido por todo o oriente.

A cultura dos persas era formada pela religião do Zoroastrismo (religião dualista), no campo arquitetônico havia grande influência dos povos da mesopotâmia e egípcios, com grandes construções de palácios, fortalezas e templos.

A religião persa era o zoroastrismo, criada por Zoroastro também chamado de Zaratustra (628–551 a.C.). Esta religião é dualista, ou seja, defende a existência do bem e do mal.

Período persa (Período intertestamentário) Esse período vai de 539 até, aproximadamente, 333 a.C. Quando Alexandre, o Grande, entrou em Jerusalém e foi recebido pelo sumo sacerdote Jado, como escreveu Flávio Josefo. A política religiosa persa era totalmente diferente de seus antecessores.

HEBREUS

Os hebreus, também conhecidos como israelitas ou judeus, são povos semitas que se fixaram no Oriente Médio por volta do segundo milênio a.C.

Quando era um povo nômade, os hebreus se dedicavam à pecuária. Ao voltarem à Palestina, eles passaram a se dedicar à agricultura, comércio e artesanato.

O povo hebreu vivia sob um regime monárquico, onde o rei controlava todos os poderes. A sociedade era hierarquizada e contava com a monarquia, os sacerdotes, os anciãos e a base da pirâmide social.

A história política dos hebreus divide-se em três períodos: governo dos patriarcas, governo dos juízes e governo dos reis.

Da cultura criada pelos hebreus, a religião, é sem dúvida o legado mais importante. Nas artes o monoteísmo hebraico influenciou todas as realizações culturais dos hebreus.

Os hebreus foram um dos primeiros povos a cultuar um único deus, isto é, eram monoteístas. No judaísmo, religião professada pelos hebreus, o único deus é Javé, cuja imagem não pode ser representada em pinturas ou estátuas.

Em 722 a.C., os hebreus foram dominados pelos assírios. Em 587 a.C., os babilônios conquistaram Judá, destruíram o templo e deportaram os hebreus para a Babilônia. Em 333 a.C., o território foi dominado pelas tropas de Alexandre, o Grande. Em 60 a.C., a região passa para domínio romano e é durante esta ocupação que nasceu Jesus Cristo.

GRÉCIA

A Grécia antiga é localizada na região

Sul da Península Balcânica, que era

uma região montanhosa, que ao seu

redor havia o mar Egeu, e o que

banhava era o Mar Adriático.

A agricultura, o artesanato e o comércio marítimo foram as principais atividades econômicas das cidades-Estado gregas.

A sociedade grega era marcada por profundas desigualdades sociais. Existiam poucos ricos e a maioria era composta por pessoas muito pobres.

A monarquia foi o regime político inicial em todas as póleis gregas; todas elas foram, pelo menos inicialmente, governadas por reis. Além de governarem as cidades, os reis também desempenhavam funções religiosas, atuando como sacerdotes e representantes dos deuses.

A cultura grega antiga estava intimamente associada à religião e se manifestava por meio da literatura, da música e do teatro.

A Grécia Antiga tinha religião politeísta, ou seja, cultuavam vários deuses, constituindo a mitologia grega. Cada deus protegia determinada área da vida de seus adoradores e possuíam, ao mesmo tempo, características humanas e divinas. Por isso, eram capazes de amar, odiar e, inclusive, se vingar.

A história grega iniciou-se oficialmente com o período

homérico, por volta de 1100 a.C. e estendeu-se até a transformação da Grécia em protetorado romano, em 146 a.C.

ROMA

Localizada na Península Itálica, centro do Mediterrâneo europeu, Roma era o centro da vida política e econômica da região.

A economia romana foi marcada por duas atividades principais: a agricultura e o comércio.

 A sociedade romana tinha como principais membros os patrícios e os plebeus, mas outros, como os clientes, os escravos e o proletariado, também a compunham.

A primeira forma de governo de Roma foi a monarquia também chamado de o período da realeza. O rei tinha funções executivas, judicial e religiosa. Na área legislativa seus poderes eram limitados.

A cultura começou a partir das artes plásticas, sendo herdeiros das artes gregas, baseada nas pinturas e nas esculturas. Deixavam mosaicos nos territórios que conquistavam como forma de marcar seu domínio.

A religião na Roma Antiga caracterizou-se pelo politeísmo, com elementos que combinaram influências de diversos cultos ao longo de sua história. Desse modo, em sua origem, crenças etruscas, gregas e orientais foram sendo incorporadas aos costumes já tradicionais de acordo com sua efetividade.

Foi dividido em três: O período da Monarquia vai desde 753 a 509 a. C; A República na Roma Antiga iniciou em 509 a. C; E o início do Império Romano quando Otávio Augusto foi posto no poder (27 a.C. a 14 d.C)

...

Baixar como  txt (11.4 Kb)   pdf (75.8 Kb)   docx (17.9 Kb)  
Continuar por mais 6 páginas »
Disponível apenas no Essays.club