Essays.club - TCC, Modelos de monografias, Trabalhos de universidades, Ensaios, Bibliografias
Pesquisar

O Ensaio de Tração

Por:   •  19/3/2019  •  Trabalho acadêmico  •  512 Palavras (3 Páginas)  •  22 Visualizações

Página 1 de 3

Ensaio de tração

O grafico é dividido em 3 areas, zona elastica, zona plastica e ruptura. Na zona elástica corresponde a resiliência de um material, esta por sua vez é a energia absorvida ate o ponto que o material começa a se deformar. Desta forma, para materiais submetidos a mesma deformação quanto maior o modulo de elasticidade maior a inclinação da reta e maior sera a energia absorvida pelo material. Ao atravessar-se a capacidade elástica entra se na zona plástica, tem se O limite de resistência a tração, que é atingido no ponto de tensão de deformação máxima, ao final leva o material a deformação terminando com sua ruptura. O limite de escoamento(inicio da zona plástica) é o ponto onde o material sofre deformação permanente.

Comparativo:

Ao analisar os estudos feitos de Oliveira Costa, e comparar os valores encontrados ao nosso ensaio percebemos uma proximidade nos resultados obtidos no aço 316L e uma superioridade mecânica na liga de titânio.

Ensaio de dureza

Ao se comparar os resultados dos testes de dureza vickers com a dureza do osso humano de acordo com a bayraktar, foi possível notar que o aço é muito mais duro. Ou seja maior resistência a penetração. Quando compardo ao titânio se nota uma defasagem.

Estes aços não podem ser endurecidos por tratamento térmico, mas são facilmente encruáveis, isto é, podem ser endurecidos por deformação plástica a frio. Apesar dos os aços austeníticos não serem magnéticos, o endurecimento por deformação a frio pode tornar o aço 316L magnético.

Ensaio de charpy (tenacidade)

Ao analisar o resultados do ensaio percebe se que esta propriedade foi a que teve o maior ganho comparado a um osso, pois a energia necessária para a fratura do aço 316L é aproximadamente 5x maior que a do osso. Na tabela ao lado comparamos o aço316L com o artigo de Juliano Carvalho, onde o resultado foi próximo, e com a literatura de panagiotopoulos vemos a superioridade do aço.

Analise microestrutural( analise por microscopia)

Analisando as imagens é possível determinar que são grão austeniticos. É perceptivel também os pites de corrosão devidos ao ataque (acido) vilela.quanto a morfologia dos grãos, observa se maclas. Isso é comum nos aços comuns nos aços inoxidáveis. Também é possível observar isto é por que o material é do tipo CFC tendo 12 planos de escorregamentos bem definidos.

EDS

Na imagem, os dados característicos de EDS do perfil de composição de aço inoxidável 316L são visíveis com o pico de ferro e cromo predominante próximo a ele. A presença de ferro aumenta a chance de ocorrer corrosão. Em um estudo realizado por Fonseca, detectou-se uma perda de cromo no processo

...

Baixar como  txt (3.2 Kb)   pdf (31.9 Kb)   docx (8.1 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no Essays.club