Essays.club - TCC, Modelos de monografias, Trabalhos de universidades, Ensaios, Bibliografias
Pesquisar

Assitencia ventilatória no aph

Por:   •  26/12/2018  •  1.327 Palavras (6 Páginas)  •  8 Visualizações

Página 1 de 6

...

RESULTS

Pressão inspiratória máxima em assistência ventilatória (figure 3, table 1)

Quando comparamos GC E GSM houve uma diminuição estatisticamente significantes (p=0,006), na pressão inspiratória máxima no grupo que apresentava suporte de manômetro (GSM) durante a ventilação exclusiva.

Na comparação entre GSM e GVA encontrou-se uma pressão inspiratória média significantemente menor (p=0,043) no grupo utilizando ventilador mecânico (GVA), como esperado na comparação entre GC e GVA a pressão inspiratória máxima foi significantemente aumentada no grupo que não possuia acompanhamento da pressão durante as ventilações ou limitação desta (GC), (p=0,0005).

Frequência ventilatória durante assistência ventilatória (figure 4, table 2)

Houve uma maior frequência de ventilatoria no grupo controle (GC) em comparação com o grupo com suporte de manometro (GSM), p=0,002, e o grupo usando o ventilador mecânico (GVA), pp=0,041.

Pressão inspiratória máxima durante RCP (figure 5, table 3)

A pressão inspiratória máxima durante a RCP mostrou-se superior no GC quando comparado com os grupos GSM e GVA, p

DISCUSSION

Durante o suporte ventilatório tanto a hiperventilação quanto o aumento excessivo da pressão inspiratória podem aumentar os riscos de lesões em diferentes órgão e diminuir as chances de recuperação destes pacientes.

Em mamíferos, um volume corrente adequado é definido como sendo de 6,3 mL.kg-1 [4], sendo que as principais causas de uma ventilação inadequada são: elevada pressão inspiratória e frequencia ventilatória aumentada

As altas pressões inspiratórias podem causar hiperinflação pulmonar, instabilidade hemodinâmica, insuflação gástrica e elevação do risco de barotraumas e consequentemente, pneumotorax[2,5]. Insuflação gástrica é relatada em até 50% dos pacientes que recebem ventilação de pressão de suporte não-invasiva. A menor pressão do esfíncter esofageal é a pressão da junção gastro-esofageal (aproximadamente 20-25 cmH2O), que previne a regurgitação do conteúdo do estômago para a faringe e a insuflação de ar para o trato intestinal durante a ventilação. As chances de insuflação gástrica durante uma ventilação com máscara facial quintuplicam quando a pressão de pico de via aérea é elevada de 20 para 30 cmH2O[5].

Por sua vez, frequências inspiratórias elevadas, resultam na redução da pressão de perfusão coronária.[3,5]

Neste estudo demonstramos que existe uma grande variação e maior frequência ventilatoria não invasiva no grupo que utilizou somente reanimador ventilatório manual tanto no suporte ventilatório como em RCP quando comparado com os grupos que utilizaram suporte ventilatório não invasivo automático ou reanimador ventilatorio manual acoplado de manômetro. Este grupo também mostrou fornecer uma maior pressão inspiratória quando comparado com o GSM e GVA, sugerindo que o uso do ventilador manual apresenta maior risco de complicações do que ele acoplado a um manômetro e principalmente que o ventilador automático.

Em conclusão, sugerismo que preferencialmente se utilize durante uma ventilação assistida no ambiente de atendimento emergencial pré-hospitalr o ventilador manual acoplado de um manômetro ou um ventilador automatico portátil.

REFERENCES

[1] Hazinski et al. – Guidelines CPR ECC 2010. American Heart Association, 2010.

[2] John F. O’Neill, Charles D. Deakin – Do we hyperventilate cardiac arrest patients?. Resuscitation 73, pg. 82—85, 2007.

[3] Aufderheide et al. Hyperventilation-Induced Hypotension During Cardiopulmonary Resuscitation. Circulation 109(16), 1960-5. 2004.

[4] Schultz MJ, Haitsma JJ, Slutsky AS et al. – What tidal volumes should be used in patients without acute lung injury? Anesthesiology, 2007;106:1226-31.

[5] Lily M. Ho-Tai, J. Hugh Devitt, Alva G. Noel, Michael P. O'Donnell – Gas leak and gastric insufflation during controlled ventilation: face mask versus laryngeal mask airway. CAN J ANAESTH, 45:3, pg 206-211, 1998.

[pic 1]

Figure 1

[pic 2] Figure 2

[pic 3]

Figure 3

[pic 4]

Figure 4

[pic 5]

Figure 5

---------------------------------------------------------------

- Análise dos dados de pressão inspiratória máxima para os cenários de assistência ventilatória.

Rodada/

Simulador

Grupo

Média da Pressão Inspiratória Máxima (cmH2O)

Cenário 01

Cenário 03

Cenário 05

Média

DesvPad

Amostras

Intervalo conf.

Média

DesvPad

Amostras

Intervalo conf.

Média

DesvPad

Amostras

Intervalo conf.

1/1

1

Descartado (problema na gravação)

1/2

2

30,89

2,49

81

0,46

...

Baixar como  txt (13.1 Kb)   pdf (79.7 Kb)   docx (31.3 Kb)  
Continuar por mais 5 páginas »
Disponível apenas no Essays.club